Produtora independente de energia, a Albioma desenvolve uma perícia única nas suas dois atividades principais: a Biomassa Térmica e a Energia Solar.

Saiba mais

Número-chave

500

Colaboradores suas habilidades ao serviço do Grupo todos os dias

Saiba mais

Produtora independente de energia, a Albioma desenvolve uma perícia única nas suas dois atividades principais: a Biomassa Térmica e a Energia Solar.

Descubra nossas energias

Nùmero-chave

62%

Energia renovável no mix energético

Saiba mais

Cotada no mercado regulamentado da Euronext em Paris, a Albioma se compromete a colocar à disposição da comunidade financeira uma informação regular, transparente e acessível.

Espaço dos Acionistas

Nossas unidades > Brasil

Usina de Vale do Parana

  • Tipo: Usina termelétrica de biomassa
  • Operação: Em 2021
  • Potência instalada: 48 MW
  • Colaboradores: 33

Ao prosseguir com seus investimentos no Brasil, a Albioma anunciou em 2016 a assinatura de um acordo de cooperação com a Vale do Paraná, uma de suas parceiras no setor sucroenergético, para a construção de uma unidade de cogeração no estado de São Paulo.

Atividades

Primeiro projeto brasileiro no qual o grupo está envolvido na construção, conexão de rede e operação, a futura usina será de propriedade conjunta da Albioma e da Vale do Paraná. Ao ser inaugurada, o que está previsto para 2021, terá capacidade instalada de 48 MW, dos quais 30 MW serão exportados para o Sistema Interligado Nacional.

455

mil toneladas

de bagaço usado em moagem de 1,7 Mtc

120

GWh

de energia elétrica exportados para o Sistema Interligado Nacional a partir de 2021

100

%

de biomassa local utilizada

Biomassa e produção de energia

A futura usina Vale do Paraná estará situada em anexo à destilaria de mesmo nome, que tem capacidade anual de moagem de 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Será capaz de exportar 120 GWh de energia elétrica anualmente para o Sistema Interligado Nacional em um país no qual o bagaço está se tornando um recurso essencial para atender às crescentes necessidades energéticas.