Produtora independente de energia, a Albioma desenvolve, com uma competência única, suas duas atividades principais: a biomassa térmica, a energia solar e a energia geotérmica

Saiba mais

Número-chave

606

Colaboradores que colocam suas habilidades a serviço do Grupo todos os dias

Saiba mais

Produtora independente de energia, a Albioma desenvolve uma perícia única nas suas dois atividades principais: a Biomassa Térmica, a Energia Solar e a Energia Geotérmica.

Descubra nossas energias

Nùmero-chave

68%

Energia renovável no mix energético

Saiba mais

Cotada no mercado regulamentado da Euronext em Paris, a Albioma se compromete a colocar à disposição da comunidade financeira uma informação regular, transparente e acessível.

Espaço dos Acionistas
Nossas energias renováveis

Geothermal energy

Geotermia, do grego géo, terra e thermos, calor, designa o uso do calor terrestre pelo homem. Sua utilização remonta a cerca de 20.000 anos, com os banhos termais. Desde aí, a exploração dessa fonte de energia se desenvolveu consideravelmente até alimentar as redes de eletricidade ou de aquecimento urbano. Em 2018, 94 TWh de eletricidade geotérmica foram produzidos em 29 países. Depois da energia biomassa e da solar, a Albioma desenvolve uma nova atividade com a aquisição, em 2021, da central eléctrica geotérmica de Gumuskoy, na Turquia.

29

países

produtores de eletricidade geotérmica

284

TWh

de calor geotérmico disponibilizados em 2018

94

TWh

de eletricidade geotérmica produzidos em 2018

Transformar o calor da Terra em energia

A geotermia é a exploração do calor armazenado no subsolo da Terra para gerar eletricidade. Na verdade, a 10 metros de profundidade, o solo atinge uma temperatura de cerca de 15°C. Em seguida, o subsolo ganha 3 a 4°C a cada 100 metros de profundidade, e pode até mesmo chegar a um aumento de temperatura de 10°C em regiões vulcânicas. Isso explica que os principais países produtores de eletricidade com origem geotérmica estão localizados perto de placas tectônicas (Indonésia, Filipinas, Turquia, etc.).

Como funciona uma usina geotérmica ?

As usinas elétricas geotérmicas são construídas perto de reservatórios de água subterrâneos que podem gerar calor. Esses reservatórios podem fornecer um líquido quente chamado salmoura. A salmoura pode atingir, dependendo do caso, uma temperatura entre 150 e 350°C. Graças a um poço de produção, perfurado no solo, a salmoura pode ser bombeada e trazida para a superfície. Ela passa então através de um permutador de calor, onde comunica o calor para um fluido de transferência térmica (tal como o butano), capaz de vaporizar a baixas temperaturas. A salmoura é depois reinjetada no solo por outro poço designado poço de injeção. O fluido de transferência térmica vaporiza, aumenta a temperatura, e pode acionar por expansão uma turbina ligada a um gerador

Na saída da turbina, o vapor passa em um condensador para ser arrefecido. Regressando ao estado líquido, o fluido de transferência térmica pode então continuar o seu ciclo e ser reutilizado de novo no permutador.

Renovável e continuamente disponível, esta fonte de energia tem todos os recursos para acelerar a transição energética.

Existem 3 tipos de geotermia:

  • Geotermia de muito baixa energia (inferior a 30°C): consiste em extrair o calor terrestre e solar armazenado entre 10 e 100 m de profundidade, com o auxílio de uma bomba de calor;
  • Geotermia de baixa a média energia (entre 30 e 150°C): serve para gerar calor que alimenta as redes de aquecimento urbano;
  • Geotermia profunda de alta energia (acima de 150°C): a que é usada como na planta Albioma para a geração de eletricidade.